Pages

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Depoimento sobre Desmame

Algumas amigas tem me cobrado um depoimento sobre o desmame, pois costumo relatar ter sido relativamente tranquilo. Não sei se foi a natureza, que apagou qualquer dificuldade da memória - digo que esquecemos as dificuldades da maternidade em prol da preservação da espécie - ou se realmente foi fácil.

Decidindo pelo desmame noturno

Como mencionei anteriormente, a amamentação prolongada ainda gera quase que uma repulsa da sociedade. É vista como “coisa de quem não tem o que comer” ou “mãe que não larga o filho” e outras opiniões até piores.  Agora, basta você falar sobre desmame e surge também um batalhão falando para não desmamar, para tomar cuidados e não causar traumas, entre outras coisas. Digo e repito o tempo todo: - Mães, só vocês e seus filhos poderão decidir o momento certo. Informem-se, mas ignorem todo e qualquer palpite.

Após meu filho completar 2 anos de idade, eu queria muito fazer o desmame noturno, mas uma série de crises de garganta adiaram meus planos. Durante estas crises, sei que a amamentação foi essencial para sua melhora. Em alguns dias da crise, ele se alimentava praticamente só do leite materno. Por outro lado, deixar ele voltar a mamar como um bebê, chegando a mamar de 3 em 3 horas durante a noite, me deixou exausta! Horários de bebê, mas com a fome de um menino!

Há algum tempo eu tentava a remoção gentil, evitando que dormisse no peito, e cheguei a conseguir uma melhora significativa. O problema foi ser vencida pelo cansaço. Alguns dias acordava vibrando, acreditando que meu filho tinha dormido a noite toda, mas meu marido logo dava a notícia “eu o levei até você duas vezes e você amamentou, não reparou?” Eu já amamentava dormindo, automaticamente.

Um pouco após sua melhora, eu estava decidida a realizar o plano do Dr Jay Gordon de desmame noturno, ele estava com 2 anos e 5 meses. Já havia tentado anteriormente, mas os planos foram interrompidos, pois não poderiam ser realizados durante crises de saúde ou mudanças.  Meu cansaço estava causando-me irritação, problemas de saúde e, com tudo isto, menos disposição para brincar.


Plano e diálogo

Eu não queria mentir para o meu filho, fingir estar machucada ou passar algo nos seios. Não conseguia ver isto como uma boa estratégia. Antes mesmo de iniciar o plano conversei muito com ele, explicava que eu também precisava dormir bem, que dormindo bem teria forças para brincar mais com ele, passear mais.
No plano do Dr Jay eu deveria escolher um período de 7hs para não amamentar. Defini de 23h às 6h. Conversei que neste período mamãe iria dormir e ele não teria leite.

Nas três primeiras noites deveria oferecer o seio, mas não permitir que dormisse no peito. Para ele dormir, poderia niná-lo, mas coloca-lo acordado na cama. A primeira noite foi a mais difícil, muito protesto e pouco sono. Indico fazer este plano no período de férias ou pedir ajuda a família para poder tirar um cochilo durante o dia. Digo isto porque é vital a mãe conseguir ficar acordada à noite.

Na segunda noite o protesto já diminuiu. Na terceira, ele já quase não pediu peito no período da noite escolhido, mas ainda recebeu colo.

Na  4ª, 5ª e 6ª noite eu poderia dar colo, mas não oferecer o peito, também deveria diminuir cada vez mais o nosso contato. A quarta noite foi de grande protesto e choro. Precisei de apoio do meu marido, mas sabia que minha presença era vital, e fiquei firme do lado do meu filho. Na quinta já foi mais tranquilo e na sexta ele nem pediu mais colo. Os famosos toquinhos leves no bumbum seguidos de “Shhhhh. Está tudo bem” foram suficientes.

Nas próximas quatro noites, não deveria pega-lo no colo. Isto foi fácil já que ele na sexta noite não pediu para sair da cama. Na sétima noite um grande presente: ele dormiu a noite toda! A grande maioria das mamães sabe como isto é valioso! Foi sua, e minha, terceira noite de sono sem interrupção depois que nasceu!


Desmame completo

Após o desmame noturno, ele costumava pedir peito somente duas vezes ao dia: quando acordava e antes de dormir. Algumas vezes solicitou mais uma vez pela manhã, mas foram poucos os momentos. Estavamos caminhando para o desmame completo.

Passei a evitar sentar nos locais onde amamentava. Tarefa árdua, já que o amamentei pela casa toda. Até minha cadeira do escritório estava relacionada ao peito! Se ele não pedia, eu não oferecia. Assim seguimos.

Um mês e meio após o desmame noturno ele começou a esquecer o seio. Quase não pedia, passava dias sem mamar. Eu quietinha. De repente ele já estava sem mamar a uma semana, duas... um mês!

Foi suave, gradativo. Meus seios não ficaram explodindo, não tomei remédios. Ele, com o nascimento de novos amiguinhos, os imitava puxando minha blusa e falando “Gugu dada, sou bebê, vou mamar!”, em seguida dava gargalhadas e dizia “Isso é coisa de bebê!”

Confesso que a saudade demorou a bater. Amei amamentar, mas me doei ao máximo e fiquei exausta. Hoje sinto nostalgia dos momentos de amamentação. Felizmente eles foram substituidos por muitas brincadeiras, muitos abraços, muitos beijinhos e muito carinho.

Indico ler também este post mais do que completo sobre desmame Diga não aos desmame abrupto.
Aqui uma mãe relatou sua experiência de desmame seguindo o plano do Dr Jay Gordon

9 comentários:

GISELE LEANDRO disse...

Muito obrigada por dividir sua experiência! Estava doida para ler sobre o desmame do Lucas. Te admiro muito, sua postura como mãe, suas convicções e com certeza sua experiência é muito válida. Sabia que você não faria nada radical. Desejo muito que aqui seja da mesma forma. No fundo ainda não me sinto preparada. Só de pensar nas noites em claro, nele chorando, tenho vontade de sumir rs Não sei se vou resitir aos apelos. Eu fico com pena. Tem dias que fico mega exausta e "decido" fazer o desmame noturno mas não consigo, eu durmo amamentando e nem a remoção gentil tem sido possível. Não sei como vai ser por aqui, como vou fazer e nem quando vou começar. Por enquanto continuo na fase de pensar sobre o assunto. Reunindo coragem, esperando o momento certo e sempre torcendo para ele desmamar sozinho (meu sonho). Depois posso te escrver um email para contar mais detalhes e pedir sua opinião?
Beijo grande e mais uma vez, obrigada!

Anamaria - mãe feliz e babona disse...

Gi, se vc não se sente preparada é pq ainda não é o momento certo para vcs ;-)

Eu entendo muito bem você. Passei por esta exaustão. Também pensei diversas vezes e adiei inúmeras o desmame noturno. Também já ammentava sem nem perceber porque dormi, o cansaço tomava conta.

Pense avalie...você saberá o momento certo :-)

Escreva quando quiser, sempre que quiser.

Ah! Vendo as fotos p/ o post, escrevendo o relato senti muita saudade de amamentar meu filho

Bjo grande p/ vcs

Laudiane disse...

Muito bacana pra ir preparando a mente e o coração
Linda semana
Bjos

Cristiane A. Fetter disse...

Oi Ana Maria, aqui é a Cristiane do To Doida.
No meu caso o desmame aconteceu quando meu filho tinha 10 meses.
Ele sempre mamou como um bezerro, mas sempre foi muito precoce, engatinhou cedo, andou cedo, e os dentes nasceram cedo também e para piorar ele passou a me morder no fim da mamada. Os bicos dos meus seios ficaram em carne viva, mas eu insistia em amamentá-lo, até que chegou um ponto que eu não aguentava mais, pois os bicos sangravam e eu tinha medo de amamentá-lo, então fiz o desmame, comecei com leite de soja e ele se adpatou super bem.
Adorei seu blog viu?
bjks

Fabiana disse...

Menina, é muito dificil...pelo menos para mim.Minha primeira filha so desmamou quando estava com dois anos e oito meses.Sofri muito, pq não conseguia tirar a mama trabalha o dia todo e nos intervalos de almoço ou antes de sair dava mama...so que a noite era pior pq ela não comia e passava a noite toda mamando eu não dormia.Quando fui fazer uma consulta de rotina com meu ginicologista/obstetra(meu medico desde os 14 anos) ele dise para eu parar pq ia ficar doente, ja estava com aspecto de doente e tava muito, mas muito magra.Então tentei passar a noite sem dar mamar, ela chorou muito e eu chorava com ela,pela manha fui trabalhar cansada e triste meu peito explodindo de tanto leite, fui parar no banco de leite pois tive febre pq o leito empedro, as meninas me ajudaram.Então uma amiga me disse que passou vinagre nos seus e so pelo cheiro a criança parou.Então tentei e deu certo, ela não quis chegar perto do peito pois fedia muito, e eu vivia podre a vinagre.Me senti culpada, mas ela não sofreu..pouis pensou que meu peito tava dodoi e as meninas do banco de leite daqui do estado me disseram para não ficar triste pois ela ja estava fazendo meu peito de chupeta.Agora estou amamentando mru segundo filho que esta com uma no e um mes.
Ah1Vale lembrar que amamentei os dois exclusivamente até os seis meses nem agua bebiam.
*
*
*
Gostei muito do blog, vamos trocar experiencias né!?
http://vidaazulerosa.blogspot.com/

Anamaria - mãe feliz e babona disse...

Cristiane,
fico feliz que tenha gostado. Tenho outros txts prontos, mas falta tempo p/ até mesmo colocar no blog. Vou ver se tomo vergonha e vou subindo tudo aos poucos.

Meu filho só me deu uma mordida p/ valer. Sei querer dei um grito e ele chorou tanto...

Fico feliz que tenha gostado do blog e mais ainda que conseguiu administrar bem o desmame

Bjocas



Fabiana,

eu acho que em relação a maternidade, tirando algo que machuque ou prejudique a criança psicologicamente, não existe certo ou errado.

Cada família tem uma dinâmica diferente, cada mãe conhece melhor do que ninguém seus filhos e só ela pode decidir o que é melhor.

Vendo seu relato vejo como dei sorte no desmame.

FIz uma visita rápida no blog...seus filhos são lindos. Parabéns

Mariana disse...

Oi Ana Maria,

Acabei de descobrir seu blog e gostei muito dos seus textos, em especial desse, sobre desmame.
Minha filha tem 10 meses, mama, e eu valorizo muito esse nosso momento, e pretendo continuar o fazendo por um bom tempo.

Parabens pela dedicaçao q vc mostra ter com seu filho!

Bjs,

Mariana.

http://palavrademammy.blogspot.com

Glaucia disse...

Oi! Estou fazendo o desmame noturno do Dr. Jay Girdon. Comecei há 6 dias, hj será a 7a noite. Minha filha tem 1 ano e 8 meses. Mas minha experiência está sendo bem diferente da sua. Os primeiros 3 dias foram ok, mas agora que eu não dou o peito de jeito nenhum ela tem acordado no meio da madrugada e ficado andando pela casa, não quer q eu a encoste e/ou pegue no colo. Às vezes se entretém com alguma coisa, para de chorar, mas logo volta. Ou eu a deixo brincar e acordar completamente ou eu fico no quarto dela com a porta fechada e ela chora sem parar. Eu converso, eu abraço, eu dou carinho, e nada funciona. Na quinta noite depois de 2 horas de agonia ela dormiu e eu considerei uma boa noite. A noite passada ela não dormia 2h e pico depois. E começou a pedir pra papar. Ela não pedia o peito, mas pedia comida. Acabei sedendo e dando o peito, fazendo da mesma maneira dos primeiros dias. Ela dormiu até de manhã depois disso.
Eu estou acabada, qdo li q seu filho dormiu na 7a noite comecei a chorar!!!! A minha não vai dormir hj, sei disso. Será q ela não está preparada ou tenho q insistir mais um pouco?
Durante o dia ela já mana pouco há séculos, mama de manhã, agora q ela está na escolinha há 1 mês, mama qdo chega da escola e depois pra dormir. Mas de madrugada todas as vezes q acorda quer mamar, e são pelo menos 3x antes da tentativa do desmame.
Preciso de opiniões de quem já passou por isso, por favor! Hj estou num estado deplorável...rs...
Beijos! Obrigada pelo relato!

Anamaria - uma mãe muito "maluquinha" disse...

Glaucia, mil desculpas por só ter visto agora. Passei um tempo afastada daqui.

Eu acredito que o problema não seja no desmame, mas por ter juntado duas mudanças: adaptação da escola e desmame noturno. Quando eu fiz o meu já estava bem adaptado. eu pararia e tentaria após estar bem adaptada a escola.

Espero que esteja tudo bem com vcs

Abraço solidário de uma mãe que também demorou muito para dormir a noite inteira