Pages

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Mães e seus super poderes


Ao se tornar mãe, a mulher entra num novo universo e, aos poucos, começa a desenvolver habilidades nunca antes imaginadas.

A primeira, infelizmente vivenciada por poucas, é o parto. PARIR! Sim, as mulheres tem este poder. Um poder que tem sido minado mas existe um retorno a batalha pelo direito de parir (tema para muitos posts).

Assim como o Super Homem, ou melhor a Super Girl, ela precisa aprender a lidar com seus poderes. À noite, por exemplo, acorda a cada suspiro do bebê recém-nascido. Por questão de sobrevivência, começa a lidar melhor com sua super-audição passando a identificar quando o bebê realmente irá acordar e precisar dela.

Conforme a criança cresce também aprende a escutar o silêncio. Sim, o silêncio muitas vezes indica um perigo eminente. Perigo, para os que ainda não entraram nesse universo, pode ser desde uma escalada na estante da sala a um dedo na tomada. Essas super-mulheres também precisam logo aprender a desligar sua audição pois os palpites…ah! Os palpites se multiplicam tanto quanto os super-poderes maternos.

As mães não voam literalmente como o super-homem, mas são capazes de “voar” para evitar alguma queda do rebento.

Sua criptonita? Uma criança sofrendo.

E os braços?! Rapidamente parecem se multiplicar como os tentáculos do Dr. Octopus, ou se esticar como os do Homem-Borracha. Quem nunca viu uma mãe carregando o bebê no colo, com chave da casa na mão, bolsa no ombro, carrinho e brinquedo na outra mão, sacolas de mercado, o copo que a criança solicita…

Que mãe nunca apoiou o bebê com uma mão enquanto colocava a fralda com outra? Ou nos sustos de xixi e cocô dos primeiros dias segurou o bebê com uma mão no trocador, enquanto tirava sua roupa, transformada por ele em alvo, com a outra?

Assim como o Batman recorre ao seu cinto de utilidades, nós, as super-mamães, temos também alguns apetrechos. O sling para multiplicar ainda mais a capacidade de equilíbrio e multiplicação dos membros superiores e a bolsa de mil e uma utilidades contendo o copo anti-vazamento para momentos de correria, a música específica, o brinquedo que a criança mais gosta, fraldas, giz de cera, papel…

Os poderes maternos não param por aqui. A capacidade de não dormir é uma das mais incríveis. (No meu caso há exatos 1 ano, 2 meses e 30 dias). Seis horas de sono quebrados de duas em duas ou de três em três horas. Um cochilo de trinta minutos ou uma hora não só parece um sonho, mas recarrega as energias como nunca antes. Mães passam a noite acordada e ainda trabalham, cuidam da casa e de toda família. Para fazer tudo isso, só mesmo um ser com super poderes.

Foi comprovado através de pesquisas que as mulheres, quando mães, aumentam sua capacidade de focar. Ainda assim somos capazes de lidar com inúmeras tarefas ao mesmo tempo. Nossa capacidade de produzir também se multiplica! O tempo realmente é escasso, mas produzimos muito mais!

Cansou? A super mãe não!

Sua capacidade telepática abisma pais e filhos. O aperto no coração quando o filho passa um susto à distância; ou o famoso “leva o guarda-chuva, pois vai chover”; ou “não faz isso, pois vai acabar em choro”. O futuro comprova, rapidamente, o poder de prever os fatos.

Por fim, um superpoder pelo qual muitas batalham, produzir leite. Produzi-lo é a parte fácil. Amamentar para uma boa parte é uma batalha – uma batalha deliciosa quando vira uma conquista.

Não pensem que tantos poderes tornam as mamães seres completamente independentes. Estas mulheres poderosas adoram companhia e apoio de aliados como super pais, super avós, super tios(as)... estes super amigos certamente tornam a vida das super mamães e seus filhos ainda mais feliz.

8 comentários:

Mamãe Feliz disse...

Adorei!!!!!!!
Fui lendo e pensando: é isso mesmo!!! exatamente!!! apoiada!!!
hahahahaha
O mais incrível é nos descobrir tão super poderosas... parece que os poderes vêm no kit mãe, mas mesmo assim a gente se surpreende cada vez mais...
Beijo grande!
Maísa

Malena disse...

Mulé, do jeito que vc estava falando, parecia que o Luquinhas não tinha pai... Ainda bem que vc citou a outra parte no final...hehehhehehe!
Longa vida às parcerias, pq elas fazem a vida mais leve e melhor.;-)

Mil beijos!

Virgínia disse...

Outro dia meu marido comentou que mãe é um negócio sério. Consegue carregar um BB pesado para cima e para baixo, com um braço só. Ele ainda falou, vai carregar um saco de 10kg de arroz para ver o quanto pesa! E é verdade!! Mãe tem super poderes. Bj

Fabiana disse...

Amei o texto!

Como vc escreve bem e como vc expressou magnificamente os super-poderes de mãe.

Fui lendo e imaginando e concordando com cada linha, apesar de ainda não ser mãe.rsrsrs

Mas acompanhando minhas amiguinhas mãezinhas e vendo a força, a superação de cada uma, pelo amor aos babys, vejo o quanto o texto exprime exatamente isso.

Maria Elisa disse...

Aninha,
amei o texto! Perfeito!
E lindo!!!
Pelo que já consegui entender "convivendo" com vcs, mamães, ele expressa exatamente o que vcs são! rs

Bj grande,
Mary

Dafne disse...

Aninha!!
Que demais!!
É uma delícia ler o que vc escreve, pq a gente vai imaginando tudo!!

Quando chegar a minha vez, vou me lembrar dos superpoderes, da criptonita, de TUDO!!! :)

ADOREEEEEIIII!!!!


Beijinhosssssssssss
Dafne.

Rocelma disse...

Amei o texto!
Ainda não sou mamãe mas...um dia serei rsrsrs!
Parabéns, vc é uma super escritora!

Dani Guima disse...

Delícia de texto, amiga... que pude curtir antecipadamente! Keep writing!!!